Marrocos optou desde a sua independência por uma economia liberal, diversificada e aberta. Foram realizadas nas duas últimas décadas, profundas reformas, com vista a criar condições para um equilíbrio macro-económico estável e permanente.

    Marrocos - Pronto para recebê-lo (Vídeo)


    Hoje, a economia marroquina, apesar de um contexto internacional desfavorável, surge como uma plataforma sólida e promissora para a troca, parceria e partilha.

    O país tem vantagens consideráveis:

    A estabilidade política,
    A proximidade geográfica,
    Quadro macroeconómico estável,
    Potencial humano qualificado,
    Ambiente institucional e legal muito favorável.

    No âmbito destas reformas, Marrocos continuou imparavél na construção de redes e infra-estruturas essenciais para a integração da sua economia no seu espaço regional e global através do desenvolvimento acelerado de auto-estradas, portos e aeroportos, redes de telecomunicações, zonas industriais, parques tecnologicos. Um registo que ganhou avaliações positivas dos organismos internacionais especializados, designando-o como um hub no continente africano.

    Foi neste mesmo espírito que se realizou a iniciativa de construir o complexo portuário Tânger Med aberto recentemente estando previsto para muito breve o inicio dos trabalhos para a sua extensão (ver Tânger Med Med I e II).

    Para manter o ritmo de crescimento constante da sua economia, Marrocos, adoptou uma série de medidas para criar um quadro institucional legal e administrativo favorável ao investimento e negócios. Estes incluem:

    -Criação de tribunais de comércio.
    -Reestruturação das agências especializadas.
    -Reforma do sistema bancário.
    -Consolidação da liberalização das normas cambiais.
    -Simplificação dos procedimentos aduaneiros.
    - Reforma portuária.

    Reformas paralelas foram realizadas na simplificação dos procedimentos administrativos garantindo uma maior utilização de serviços electrónicos. Assim, um número de centros de investimento regionais, têm sido instalados um pouco por todo o país.

    Num espírito de total abertura, Marrocos comprometeu-se a diversificar os seus mercados através de uma gama de acordos bilaterais de livre comércio que permitam aos operadores económicos operar numa área ainda maior e mais próspera. Marrocos tem emergindo assim como uma plataforma regional para investimento, produção e comércio de primeira ordem.