A 13 de Julho de 2008, foi lançada em Paris a União para o Mediterrâneo (UPM), com a participação do Reino de Marrocos. A União para o Mediterrâneo dá continuidade à cooperação prevista no chamado Processo de Barcelona, de 1995. A sua principal meta é fomentar a paz, a democracia e o bem-estar na região. Os países-membros deverão encontrar soluções conjuntas para os problemas actuais, como a crise na alimentação, as alterações climáticas, o extremismo e o terrorismo.
    As quatro prioridades do Processo de Barcelona permanecem neste novo organismo: diálogo político, cooperação económica, livre comércio, diálogo social e cultural. Em 2005, especificaram-se outras áreas de actuação conjunta como: Imigração, Integração social, Justiça e Segurança.
    Como grandes projectos a UPM conta, entre outros, com a despoluição do Mar Mediterrâneo, a ampliação da rede de transportes, a prevenção de catástrofes, o aproveitamento de energia solar e a educação e pesquisa.

    O diplomata marroquino Youssef Amrani foi nomeado secretário-geral da União para o Mediterrâneo (UPM) durante uma reunião de altos funcionários da organização em Barcelona. A candidatura de Amrani, ex-Secretário-Geral do Ministério do Minisatério dos Negócios Estrangeiros, foi apoiada por todos os países membros da UPM.

    Para saber mais :

    Déclaration commune du sommet de Paris pour la Méditerranée